Volta às aulas, fique ligado!

5 dicas da neurociência para potencializar seus estudos

O período de volta às aulas traz um misto de sensações: milhares de estudantes esperam por esse momento para rever amigos, retornar à rotina e iniciar o ano letivo com foco nos resultados. Porém, o momento de estudos nunca é fácil e muitas vezes, é encarado com desânimo, medo e desespero para aqueles que não conseguem assimilar determinados conteúdos e tremem só de pensar em decorar nomes e fórmulas ou realizar equações corretamente.

O processo de aprendizagem está intimamente ligado com o funcionamento cerebral, e Segundo Solange Jacob, diretora Acadêmica Nacional do SUPERA, “o processo de aprendizagem acontece quando há uma modificação da estrutura cerebral, que cria memórias de longo prazo; essas memórias são adquiridas através da atenção”.
Dessa maneira, nosso cérebro é responsável por fixar os conteúdos vistos em sala de aula e revisados no momento de estudos. A neurociência traz algumas respostas para potencializar o momento de estudo e fazer com que os estudantes consigam assimilar melhor os conteúdos – mesmo aqueles que temos mais dificuldades.

Confira:

Dê tempo ao seu cérebro!

De acordo com a pesquisadora em psicologia cognitiva da Universidade de Oakland (EUA), Barbara Oakley, o nosso cérebro trabalha em dois modos: modo focado (quando estamos prestando atenção em algo) e modo difuso (quando nosso cérebro está relaxado). Para aprendermos de maneira efetiva, o segredo é alternar entre esses dois modos – quando relaxamos a mente, é mais fácil encontrar a solução de alguns problemas. Durante os estudos, é normal “empacar” em algum exercício; a dica é relaxar por 10 minutos ou então, focar em outro exercício de matéria diferente. A solução virá mais facilmente quando retornar à outra questão.

Dê recompensas ao seu cérebro!

A neurociência sugere evitar a procrastinação com um método de recompensa ao seu cérebro. A dica é: marque em um temporizador 25 a 30 minutos. Concentre todas as suas energias nas atividades durante esse tempo, sem alternar com outra tarefa e sem interrupções. Após esse tempo, se dê uma recompensa – ouvir uma música, redes sociais, um jogo. Segundo Oakley, o desejo pela recompensa fará com que o nosso cérebro se concentre ao máximo durante o modo focado.

Não deixe para última hora!

O processo de aprendizagem no cérebro depende de fortes conexões neurais – e isso requer trazer novidades, variedades e desafios crescentes. Quanto mais nos dedicamos aos conteúdos novos, acostumando o cérebro ao conteúdo absorvido sem pressa, melhor será o processo de aprendizagem e as ideias serão consolidadas mais facilmente.

Treine sua memória!

O professor passou um conteúdo de manhã e não consegue se recordar durante o estudo? A neurociência traz uma estratégia essencial para potencializar sua memória. O segredo é revisar o conteúdo no mesmo dia em que foi passado em sala de aula. A pesquisadora Oakley tem uma técnica: “recordar ativamente”. Leia o texto e anote as palavras-chave referente ao assunto. Depois, tire os olhos das anotações e tente se recordar e explicar ativamente o que foi anotado – de preferência em voz alta e várias vezes ao longo do dia.

Tenha hábitos saudáveis!

Ter uma rotina de alimentação saudável melhora a capacidade do cérebro no momento de se recordar e aprender novos conteúdos. Garantir boas noites de sono ajuda a fixar o conteúdo visto anteriormente e ter uma mente “acordada” para aprendizados novos no dia seguinte. A prática de exercícios físicos também é responsável pelo fortalecimento das conexões neurais e é uma ótima maneira de aproveitar o “modo difuso” do cérebro, essencial para o momento da aprendizagem.

Fonte: Supera Ginastica para Cérebro – texto adaptado para o Blog



Deixe um Comentário

Seu e-mail não aparecerá no comentário. Os campos obrigatórios estão marcados com (*).

Você pode usar estas tags e atributos em HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>