Crise?

A atual situação econômica do Brasil vem causando muita preocupação à toda parcela da população que depende do seu próprio trabalho para garantir seu sustento. Sejam empregados ou empresários, estão todos preocupados com os rumos que nossa economia vem tomando nos últimos tempos. Essa preocupação com a atual situação econômica do Brasil vem fazendo com que empresários adiem investimentos e novos empreendedores aguardem momentos menos incertos para iniciar seus projetos. Como em todo momento de incerteza, uma certa dose de pânico se confunde com a frieza dos números e por isso é importante termos uma visão real do que está acontecendo.

O que é fato e o que é pânico
Os números não deixam dúvidas sobre a gravidade da situação econômica brasileira, muito embora o governo tente mascarar a crise com interpretações convenientes e a negação dos dados captados pelas diversas consultorias econômicas, instituições de classe e até mesmo das próprias agências e órgãos governamentais.

A atual situação econômica do Brasil é tecnicamente de estagnação. A crise econômica de 2016 não é mais apenas uma hipótese e consta como fato em toda pauta de reunião de empresários do país e também fora dele. Acreditar em mais uma história sobre “marolas” é negar a realidade econômica do país e abrir a porta para o fracasso.

É claro que, como em toda situação de incerteza, principalmente em ano eleitoral, uma certa dose de pânico acaba se instalando. Esse também não é o caminho para a solução do problema, pois em momentos de histeria, decisões precipitadas podem também acabar destruindo o seu negócio.

Seguem algumas dicas para amenizar os efeitos da crise

1) Defina objetivos Quando não sabemos para onde ir, qualquer caminho serve. Por isso que muitas vezes gastamos nosso dinheiro em qualquer coisa, pois não temos um destino planejado para ele”. Assim, tenha objetivos claros para seu dinheiro, para assim conseguir se organizar melhor.

2) Elabore um orçamento e siga-o .Nesse momento, é importante registrar todos os gastos, para assim saber o que é de fato fundamental e o que pode ser cortado para investir mais. Façam uma tabela equilibrada, sem forçar demais o corte de gastos de maneira que o orçamento fique impossível de ser cumprido.

3) Acompanhe suas dívidas . A sugestão é adaptar o orçamento de maneira a contemplar o pagamento das dívidas. Para isso, é recomendado que faça um levantamento do que deve e procure os credores para negociá-las. E claro, depois de quitar tudo, mantenha um controle rigoroso sobre os gastos para não voltar ao endividamento.

4) Tenha um fundo de emergência O fundo de emergência serve para momentos em que imprevistos acontecem ou que o fluxo de receita cai bruscamente. O ideal é que o fundo cubra, no mínimo, três meses de despesas mensais. Vale ressaltar que gastos com IPVA,IPTU, matrícula escolar não são gastos imprevistos e devem fazer parte do orçamento regular, Esse fundo deve ficar em uma aplicação de liquidez imediata e de fácil acesso.

Fonte: Uol Economia > Empreendedores Web



Deixe um Comentário

Seu e-mail não aparecerá no comentário. Os campos obrigatórios estão marcados com (*).

Você pode usar estas tags e atributos em HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>